Postagens Recentes

solsticio de inverno

Hoje dia 20 de junho no hemisfério sul, o Sol incide no ponto mais inclinado da Terra, será o dia mais curto e a noite mais longa do ano.

É o Solstício de Inverno que se inicia.

As árvores se despedem das folhas, e o solo as transforma em adubo… Como parte da Natureza, pra nós também é hora de limpar, transformar em adubo aquilo que já serviu , mas não serve mais… abrir espaços deixar galhos a mostra… aguardar.

Com reverência e intenção, abra seus armários, da cozinha, do quarto, do coração, e tire tudo que é velho. Devolva a semente para terra. Abra espaços para aguardar o novo da próxima estação. Renove, Recicle, doe e espere… Inverno é tempo de espera, de tolerância, de observação, de cultuar o silêncio com sabedoria. “Ouça com paciência e fale somente para ajudar”
Feliz Solstício!

eu- Florbela-espanca
Eu sou a que no mundo anda perdida,
Eu sou a que na vida não tem norte,
Sou a irmã do Sonho,e desta sorte
Sou a crucificada … a dolorida …
Sombra de névoa tênue e esvaecida,
E que o destino amargo, triste e forte,
Impele brutalmente para a morte!
Alma de luto sempre incompreendida!…
Sou aquela que passa e ninguém vê…
Sou a que chamam triste sem o ser…
Sou a que chora sem saber porquê…
Sou talvez a visão que Alguém sonhou,
Alguém que veio ao mundo pra me ver,
E que nunca na vida me encontrou!
Florbela Espanca
Depressão

Há dias em que vestir a persona que a sociedade exige é tão pesado que justifica a vontade de não levantar, de não acordar….de não ser!

 O desafio da tela em branco. Jamais encarei como um problema. Mas passou  a ser tormenta a partir do momento em que simplesmente deixei de registrar as frases, ideias e pensamentos que supostamente poderiam servir para algo porque a inércia vencia qualquer tipo de vontade ou esforço. Perdi esse prazer que me deixava tão leve, e que me permitia uma catarse tão necessária. Com isso desaprendi a ter vontade, a me sentir motivada, a querer ir… pra onde mesmo? Troquei o “por que não”? pelo “pra que”?
por que amamos os stark - Claudia Braga
Poderia usar vários adjetivos para descrever uma espécie de sentimento que eu e milhares de telespectadores da série Game of Thrones nutrimos pela família do norte de Westeros, os Stark, mas preferi resumir numa única palavra: afeto.
Numa trama, na qual personagens entram e saem em meio a tragédias, batalhas, traições, pactos e alianças escusas, a família Stark simboliza a fidelidade aos  princípios.
como charteston nada bem - claudia braga
Hoje, ao chegar em casa, depois de um dia de trabalho, me aconteceu uma coisa estranha. Peguei o elevador, cheguei ao meu andar e coloquei a chave na fechadura. A chave entrou parcialmente, já que havia outra enfiada do lado de dentro da porta. Tentei chamar a atenção de quem pudesse estar na sala, mexendo na maçaneta, mas nada,  Toquei campainha uma, duas, três vezes. Nada.
Olhei para a parte de cima da porta que tem vidro jateado e reparei que a luz estava apagada.
vocÊ acredita em mãe - claudia Braga
Uma parábola do escritor húngaro Útmutató um Léleknek

No ventre de uma mulher havia dois bebês. 
Um perguntou pro outro:
“Você acredita na vida após o parto?”
O outro respondeu, “Sim, claro! Tem que haver algo após o parto. Talvez estejamos aqui para nos prepararmos para o que seremos mais tarde.”
“Tolice,” disse o primeiro, “não existe vida após o parto. Que tipo de vida seria essa?”