Gaijin

Meu irmão (5) e eu (2). Eu só saí na foto porque ele me deixou segurar o livro que ele ganhou de presente da escola na formatura do Jardim de Infância. A placa mais antiga da rua, com propaganda de Mate Couro e tudo. (Detalhe no design da garrafinha). Dia bonito, sol preguiçoso, tempo frio. […]

Consulte para mais informação
Minha homenagem a quem sempre nos faz sonhar

Um amigo escreveu e deu-me de “presente” este texto em homenagem ao dia do contador de histórias. Gostaria de compartilhá-lo com todas os contadores e contadoras de histórias espalhados por esse mundo afora. (A imagem acima veio junto com o texto). Achei muito fofo. “De repente estamos ali, sentadinhos, olhando para alguém que nunca vimos.Não […]

Consulte para mais informação
Realizando sonhos

É tão bom, tão gratificante realizar um sonho, que muitas vezes, nos faltam palavras para definir tal sensação. Podemos ficar apáticos, o que eu costumo traduzir como “anestesiados”,  aéreos, distantes até o momento em que voltamos à realidade e tomamos ciência dos fatos. Foi o que me aconteceu ontem. Mas ao invés de sorrir eu […]

Consulte para mais informação
Melhor impossível

No meio de um papo no msn….: SAPO diz:vc assistiu aquele filme do jack nickolson e da …hunt… alguma coisa ELEKTRA® diz:helen… helen hunt….melhor impossivelSAPO diz:em q ele diz pra ela o qt estranho é o mundo naum saber quem ela é?e q só ele sabe disso, vendo ela andar pra cima e pra baixo […]

Consulte para mais informação
O funeral de Vincent

Hoje acordei visualizando uma imagem que há tempos montei em minha cabeça após ler um texto. Ainda estava naquele estágio em que o sonho vai dando espaço à realidade e os sons e as formas do real começam a invadir e a mesclar dentro de nossa cabeça. Eu estava num quarto todo luminado pelo sol […]

Consulte para mais informação
Uma declaração de amor

VINCENT Se sua tinta eu fosse,que cor eu seria?Em que tela me pintaria?(é pretensão, e daí?) Minha admiração por tinão cabe em nenhum papel.Sou maldita e não poeta,não sei fazer com as letraso que fizeste com o pincel. Mas tua coragem me inspira.Sei das viagens que te cercaram.Não foram campos nem girassóis,conheço os gritos do […]

Consulte para mais informação
Sutilmente

Descobrí que há coisas que não podem ser dadas. Por serem tão suas, tão integrantes do seu “eu”, que o entendimento dessa doação fica difícil de ser alcançada pelo outro. É como se você quisesse homenagear alguém e amputasse um dedo para lhe ofertar. Sei que o exemplo é exagerado, mas para mim essas coisas […]

Consulte para mais informação